Ressecamento vaginal com ou sem perda urinária

A ação hormonal é fundamental para a diferenciação e funcionamento dos diferentes órgãos e tecidos do corpo humano.

Apesar do hipoestrogenismo ser uma condição normal em todas as mulheres da meia idade, pode ocasionar consequências patológicas, sob a forma de manifestações genitais e extragenitais e que cuja resultante é a aceleração do processo de envelhecimento, sabiamente modulado, em parte, pelos esteróides sexuais.
Com a queda hormonal, a pele e a mucosa vaginal sofrem uma perda do seu trofismo, ou seja, perdem a sua lubrificação, brilho e elasticidade natural, dificultando as relações sexuais ou até mesmo o orgasmo. Coceira, ardência ou irritação na vagina são sintomas que podem acontecer. Esse ressecamento atinge também mulheres que estão no pós parto, pela redução na produção do estrogênio, principal hormônio feminino.
Tratamentos com quimioterápicos e radioterapias contra o câncer também podem reduzir a lubrificação vaginal. A perda urinária involuntária também pode ocorrer em decorrência dessa perda hormonal, por deixar atrófica a mucosa do aparelho urinário, favorecendo inclusive infecções urinárias.
As opções de tratamento são:
TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL
Deve ser individualizada, local ou sistêmica, e utilizada após avaliação cuidadosa do histórico e com exames adequados de cada paciente. O uso de lubrificantes, a base de óleos ou água, ou até mesmo os hidratantes intravaginais, amenizam momentaneamente, mas não tratam a causa.
RADIOFREQUÊNCIA GENITAL
LASER FRACIONADO CO2 GENITAL